Preparação Física Específica (PFE)

Image Alt

Preparação Física Específica (PFE)

  /  Dança  /  Cursos Livres  /  Preparação Física Específica (PFE)

Preparação Física Específica (PFE)

€0
Categories:

Acerca do curso

A prática da Dança requer o desenvolvimento complexo e harmonioso das diferentes capacidades motoras. 

 

Para atingir um elevado nível de desempenho motor, é essencial que os fundamentos específicos e aspetos físicos sejam trabalhados em conjunto.

 

Neste sentido, a Preparação Física Específica (PFE) torna-se numa grande aliada do bailarino. A PFE faz parte do processo de aquecimento e fortalecimento muscular; tem um papel fundamental no desenvolvimento e manutenção da flexibilidade e força; assim como proporciona incrementos nos níveis de agilidade, equilíbrio, coordenação e resistência; e além disso, favorece a uma melhor simetria, postura e alinhamento corporal.

 

Destacamos a importância do trabalho da flexibilidade e da força nas aulas de PFE, dado que estas capacidades motoras contribuem para a execução de movimentos eficientes. Sem um nível de flexibilidade adequado torna-se difícil aperfeiçoar a técnica, educar a expressividade e a leveza dos movimentos, que são características cruciais na dança. Contudo, dada a devida relevância à flexibilidade, devemos ter em consideração que apenas esta capacidade motora não garante a realização dos movimentos com a amplitude necessária, sendo que aliada a esta é indispensável uma “força” que permita ao bailarino controlar a sua liberdade de expressão e executar os movimentos com a técnica correta. 

 

Portanto, o trabalho específico da flexibilidade e da força deve estar intimamente ligado para que o bailarino alcance um elevado desempenho na dança.

 

Deste modo, a PFE mostra-se determinante na rotina do bailarino. 

 

Cabe ressaltar que, as melhorias nas capacidades motoras ligadas à dança estão condicionadas a um trabalho de preparação física prescrito e estruturado de forma coerente; com a distribuição adequada dos estímulos com volumes e intensidades; considerando sempre as especificidades da dança e, especialmente, a variabilidade interindividual dos bailarinos.